A crise da água já foi negado e a gestão da água por parte do Governo é o prêmio para ganhar. Esta é a realidade de São Paulo?

Crise hídrica já foi negada e gestão das águas pelo Governo é premiada. Essa é a realidade em São Paulo?
Crise hídrica já foi negada e gestão das águas pelo Governo é premiada. Essa é a realidade em São Paulo?

imagem07-09-2018-21-09-36

Urbanismo

A crise da água já foi negado e a gestão da água por parte do Governo é o prêmio para ganhar. Esta é a realidade de São Paulo?

Escrito por: no 28/10/2015

“A modéstia de lado, é bem merecido”. Foi a declaração do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para receber o prêmio pelo Congresso Nacional, na categoria “Personalidades” para a gestão e implementação das políticas públicas de saneamento e recursos hídricos, em São Paulo, um lugar que enfrenta, a partir de janeiro de 2014, o maior crise da água na história, e ainda nie n’data no final.

Bragança Paulista blog da arquitetura

O Sistema Cantareira é o que é a situação mais crítica. Em janeiro de 2014, ele estava operando com uma capacidade de 27%. Meses depois, em maio do mesmo ano, a utilização da primeira parcela do volume morto – um reservatório de água situado abaixo as comportas das represas do Sistema, wat n’reserva técnica, e, em novembro, a segunda parte é usada. Atualmente, o Sistema Cantareira trabalhar com 16% da sua capacidade, a consideração das duas cotas do volume morto.

De acordo com a projeção do Centro Nacional de Monitoramento e alertas de Desastres Naturais (Cemaden), no melhor dos casos, previsto para os próximos meses, será possível parar de usar o volume morto em novembro deste ano. Se o índice de chuva abaixo do esperado, as reservas devem ser utilizados até o final do verão, em 2016.

Imagem: Brasil PostImagem: O Brasil Pós

A realidade enfrentada deur n’boa parte da população é um dos problemas para abrir a torneira de casa com a falta de água. Mas este contexto pode ser diferente. De acordo com os cálculos feitos pelo jornal “Folha de S. Paulo”, São Paulo poderia ter de 51% a mais de capacidade de água do que as medidas que têm sido tomadas desde janeiro de 2014.

“Não haverá falta de água em São Paulo”

Ele foi o anúncio do governador, durante a corrida eleitoral para a reeleição. Já voorsien n’risco de colapso do sistema de água bem antes de a crise se instalar e, apesar disso, há ações concretas que impedem dat n’percentagem dos que vieram para a falta de água em São Paulo. Em um ano de eleições, a crise da água foi uma questão que passou para o segundo plano. Relatórios e gravações de áudio que iria provar que o incumprimento, por parte da Sabesp sobre a real situação da água no Estado veio à tona.

Imagem: Ana Carolina Moreno G1Imagem: Ana Carolina Moreno/ G1

Apesar de não haver racionamento oficial, a restrição do fornecimento de água foi permitido apenas em janeiro deste ano, poucos dias depois de Geraldo Alckmin para assumir se o governador foi reeleito no Estado, e depois de a Agência Nacional de Águas (ANA) para determinar a redução do volume a ser removido do Sistema Cantareira.

Na web-Volume da série Live, é possível identificar algumas das ações de restrição de água em várias regiões da grande São Paulo. A ação é ainda mais grave, porque há total transparência dos lugares em que haverá escassez de água, algo que é essencial para o planejamento da população.

Imagem: Denny Cesare/ Estadão ConteúdoImagem: Denny Cesare/ Globe Telecom Conteúdo

Em vários lugares na Grande São Paulo, e os bairros da capital, principalmente nas regiões mais altas, eles enfrentam a falta de água em diferentes momentos do dia, muitas vezes mais de um dia da semana. A diminuição da pressão na tubulação, e o bloqueio total de água é indispensável algumas das ações que levam para as torneiras secas.

Ainda precisa de mais

Apesar do fato de que o último inverno foi o mais chuvoso desde 2009, o Sistema Cantareira ainda é “negativa”. O Tribunal de Contas do Estado também disse que as medidas importantes devem ser tomadas no combate à crise, entre elas a reparação da represa Billings, e a luta contra as perdas de água, vazamentos e na distribuição de recursos para as casas.

A Política Nacional de Recursos Hídricos determinado que a água do domínio público, o que em uma situação de escassez de necessidade como uso prioritário o consumo humano e de animais. A conservação deste bem renovável, mas escassez de recursos, que envolve, além da final dos resíduos e a perda de água na forma de residências e empresas, o cuidado com a proteção de fontes de água e a pesquisa de vir n’uma maior participação da comunidade.

Estadao ConteudoImagem: Globo Telecom Conteúdo

O prêmio, que mencionamos no início deste artigo, e ser recebido por Alckmin, foi oferecido simbolicamente pelo governador para a população de São Paulo, a Secretaria de Recursos Hídricos e Sabesp. A motivação para o prêmio que o governo do Estado de São Paulo têm encontrado formas de investir, no meio da crise. Mais do que os esforços e dificuldades enfrentadas, também está próximo para a população de monitoramento e faturamento para a gestão eficiente dos recursos hídricos.

Quer saber mais?

Quer controlar o nível dos reservatórios em São Paulo?

Veja este site: //nossaaguasp.com

Você quer saber mais sobre os projetos e sobre a crise de água em São Paulo?

//crise.org/

//aguasp.com.br/

Veja também o primeiro episódio da web série o Volume da Vida, e junto com o projeto multimídia no site:

Volume Ao Vivo

[youtube https://youtu.be/90mfhpWppHw]

 

Referências: Folha de S. Paulo, G1, Uol

28 de outubro de 2015
0
em-e-premiada-que-e-realidade-em-sao-paulo/#respond ” target=’_self’>

0

falta de água

são paulo

urbanismo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*