Confiança do comércio registra primeira alta no ano, aponta FGV | Economia | G1

Confiança do comércio registra primeira alta no ano, aponta FGV
Confiança do comércio registra primeira alta no ano, aponta FGV

Consumo, varejo, dia das crianças, crianças, brinquedo, brinquedos, loja de brinquedo, loja, consumidor, consumidora — Foto: Celso Tavares/G1Consumo, varejo, dia das crianças, crianças, brinquedo, brinquedos, loja de brinquedo, loja, consumidor, consumidora — Foto: Celso Tavares/G1

Consumo, varejo, dia das crianças, crianças, brinquedo, brinquedos, loja de brinquedo, loja, consumidor, consumidora — Foto: Celso Tavares/G1

O índice que mede a confiança do comércio subiu 1,8 ponto em junho, passando de 91,4 para 93,2 pontos, segundo divulgou nesta terça-feira (26) a Fundação Getulio Vargas (FGV). Esse foi o primeiro resultado positivo em 2019. Em médias móveis trimestrais, entretanto, o Índice de Confiança do Comércio (ICOM) caiu 1,2 ponto, quarta queda consecutiva.

“Apesar da melhora, o índice ainda está em nível semelhante ao do período eleitoral. Em outubro do ano passado, ficou em 94,4 pontos, e chegou a 104 pontos em dezembro.

“A nova queda dos indicadores de situação atual mostra que os empresários do setor estão incomodados com o ritmo das vendas, reforçando o cenário de recuperação gradual, dada a vagarosa recuperação do mercado de trabalho e o nível baixo da confiança dos consumidores”, avalia Rodolpho Tobler, coordenador da pesquisa.

Apesar da melhora de alguns indicadores da economia em junho, os analistas destacam que a leitura permanece de uma economia estagnada, após o Produto Interno Bruto (PIB) ter registrado queda de 0,2% no 1º trimestre.

De acordo com a FGV, o resultado negativo no trimestre móvel reforça que, “mesmo que as expectativas estejam passando por um período de calibragem com alta volatilidade, os indicadores de situação atual confirmam que o ritmo de vendas ao longo do primeiro semestre de 2019 continua fraco”.

A melhora do índice ocorreu devido a um avanço do indicador de expectativas, depois de quatro quedas consecutivas. O subíndice avançou 5,1 pontos em junho, mas ainda se encontra abaixo dos 100 pontos (99,9 pontos). Por outro lado, o indicador de situação atual recuou 1,5 ponto em junho, registrando 86,8 pontos, menor valor desde dezembro de 2017 (86,0 pontos).

    Seja o primeiro a comentar

    Faça um comentário

    Seu e-mail não será publicado.


    *