Detento morre e Estado do RJ investiga meningite dentro de presídio em Campos | Norte Fluminense | G1

Detento morre e Estado do RJ investiga meningite dentro de presídio em Campos
Detento morre e Estado do RJ investiga meningite dentro de presídio em Campos

Detento do Presídio Dalton Crespo de Castro morreu com suspeita de meningite bacteriana — Foto: Reprodução/NF NotíciasDetento do Presídio Dalton Crespo de Castro morreu com suspeita de meningite bacteriana — Foto: Reprodução/NF Notícias

Detento do Presídio Dalton Crespo de Castro morreu com suspeita de meningite bacteriana — Foto: Reprodução/NF Notícias

Um detento do Presídio Dalton Crespo de Castro, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, morreu com suspeita de meningite bacteriana neste domingo (2).

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que as visitas e a saída e entrada de presos foram suspensas até o dia 12, seguindo o protocolo de prevenção da doença.

Ainda de acordo com a Seap, o interno passou mal e relatou aos inspetores penitenciários que estava com sintomas de meningite.

Ele foi encaminhado ao Hospital Ferreira Machado (HFM), recebeu atendimento médico, mas morreu na unidade de saúde.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e ainda aguarda laudo com a causa exata da morte.

A Seap informou que está tomando todas as providências de prevenção, por meio de sua Coordenação de Saúde, e os detentos e servidores que tiveram contato com o preso estão recebendo o tratamento.

Não há outros casos suspeitos de meningite na unidade, segundo a Seap.

De acordo com a Prefeitura, o paciente chegou à unidade no sábado (1°) já em estado grave e com lesões típicas de meningococcemia.

Ainda segundo o município, os exames e cuidados pertinentes ao caso foram feitos junto ao paciente, que morreu no domingo.

A Prefeitura disse também que profissionais de contato direto com o paciente estão recebendo as orientações necessárias quanto à quimioprofilaxia.

Veja outras notícias da região no G1 Norte Fluminense.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*