Se você não é democrática seria “limpeza de armas,” Moore diz | exame

Se não fosse democrático, estaria “limpando as armas”, diz Mourão
Se não fosse democrático, estaria “limpando as armas”, diz Mourão

General Mourão, vice de Bolsonaro

Gerais de reserva Hamilton Moore (associação) é um candidato a vice-presidente na chapa de Jair bolsonaro (PSL) (ocarinastrap/Wikimedia Commons)

Brasília – um dia após o anúncio de que a Constituição não foi colocado antes de o eleito, a reserva geral Hamilton Moore (associação), candidato a vice-presidente na chapa de Jair bolsonaro (PSL), foi uma reação às críticas de que vai ser a sua posição contra a democracia. “Eu não sei porque eu não sou democrático. Mas tudo bem, vamos lá. Um caractere que você deseja colocar em que a recusa”, disse ele. Ele acrescentou: “Se você não é uma democracia, não vai participar nas eleições. Vai ser a limpeza de suas armas e aguardar o momento”.

Moore disse que ele está sempre a falar em suas palestras que há um consenso entre os inspectores da Brasileira, da carta de 88 é um problema. “Seria muito bom que podemos mudá-la. Mas todo mundo sabe muito bem que o presidente da República, em si e por si mesma não possui esse poder. As pessoas devem estar cientes de que. Os funcionários não gostam, acham um absurdo, mas eu tenho direito de expressar minha opinião”, disse ele, citando o candidato da rede para o planalto, Marina Silva, criticou. “Não direito”.

Moore falou para a reportagem, via telefone, para chegar em Manaus na sexta-feira, dia 14, antes de fazer uma palestra para 300 empresários. O candidato a deputado também comentou sobre as críticas que recebeu por parte de setores de uma mesma campanha, de acordo com o que seria o desejo de substituir bolsonaro. “O pessoal atirar em tudo o que está ao lado”, em curto. “Eu faço o meu dever. Eu acontecerá? O candidato é,” ele disse. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*