United Airlines suspende voos para a Índia em meio a preocupação com o espaço aéreo do Irã | Mundo | G1

United Airlines suspende voos para a Índia em meio a preocupação com o espaço aéreo do Irã
United Airlines suspende voos para a Índia em meio a preocupação com o espaço aéreo do Irã

A companhia aérea norte-americana United Airlines disse nesta quinta-feira (20) que suspendeu voos de Newark a Mumbai, na Índia, por preocupação com a segurança do espaço aéreo iraniano, que fica no caminho. Mais cedo, o Irã abateu um drone dos Estados Unidos.

O drone, que voava sem armas, podia voar até 60 mil pés – equivalente a 18,3 mil metros. Aviões comerciais costumam voar em altitudes menores.

“Com os recentes acontecimentos no Irã, nós conduzimos uma revisão de segurança na nossa operação à Índia pelo espaço aéreo iraniano e decidimos suspendê-lo”, disse a United.

A derrubada da aeronave, que não tinha armas, desencadeou novo capítulo na tensão entre EUA e Irã – sobretudo após a explosão de petroleiros no Golfo de Omã, na semana passada.

Preocupação com o Irã

No mês passado, a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) pediu que as companhias redobrassem o cuidado ao sobrevoar o Irã e regiões próximas no Golfo Pérsico e no Golfo de Omã diante das atividades militares e da crescente tensão política.

“Apesar de o Irã provavelmente não ter intenção de atingir aeronaves civis, a presença de vários armamentos avançados anti-aéreos em uma atmosfera tensa coloca um risco possível de erro de cálculo ou erro na identificação, especialmente em períodos de alta tensão política e retórica”, disse a FAA.

A preocupação das autoridades norte-americanas remontam à tragédia com o voo MH17 da Malaysia Airlines. Uma aeronave da companhia que viajava da Holanda rumo à Malásia caiu em 2014 após ser atingida por um míssil enquanto sobrevoava uma área da Ucrânia ocupada por separatistas russos. Quatro pessoas foram indiciadas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*