Visto americano: Por que você vai ter que informar dados de suas redes sociais se quiser fazer turismo, estudar ou trabalhar nos EUA | Turismo e Viagem | G1

Visto americano: Por que você vai ter que informar dados de suas redes sociais se quiser fazer turismo, estudar ou trabalhar nos EUA
Visto americano: Por que você vai ter que informar dados de suas redes sociais se quiser fazer turismo, estudar ou trabalhar nos EUA

Nova York — Foto: Taniadimas/Creative CommonsNova York — Foto: Taniadimas/Creative Commons

Nova York — Foto: Taniadimas/Creative Commons

Se você pensa em pedir ou renovar um visto dos Estados Unidos é melhor analisar o que você posta no Facebook ou no Twitter, por exemplo.

É que, segundo anunciou o Departamento de Estado americano na sexta-feira, a partir deste mês, a maioria das pessoas que se candidatar a um visto no país terá que enviar junto com a solicitação informações sobre as redes sociais que usa ou usou nos últimos cinco anos.

Mas não é só isso.

De acordo com as novas regras, além de toda a documentação que já precisam apresentar, os interessados também devem fornecer endereços de e-mail e números de telefone que utilizaram também nos últimos cinco anos.

As novas exigências foram propostas pela primeira vez em março de 2018. Elas atendem a uma determinação do presidente Donald Trump, e, segundo o governo, buscam aumentar o controle de segurança sobre os solicitantes de visto.

“Estamos trabalhando constantemente para encontrar mecanismos que melhorem nossos processos de triagem para proteger os cidadãos americanos, ao mesmo tempo em que apoiamos as viagens legais aos Estados Unidos”, disse o Departamento.

Quem deverá fornecer informações sobre as redes sociais?

De acordo com as novas regras, a maioria das pessoas que se candidata a um visto dos EUA deve enviar informações como os nomes de usuários que mantém ou mantinha nas redes sociais.

A obrigatoriedade vale para quem vai aos Estados Unidos fazer turismo, trabalhar ou estudar. Já certos solicitantes de vistos diplomáticos e oficiais estarão isentos das novas medidas, segundo o Departamento de Estado.

Anteriormente, apenas candidatos que demandavam uma investigação adicional por parte das autoridades – como os que haviam estado em partes do mundo controladas por grupos radicais ou eram provenientes de determinados países – tinham essa obrigação.

Os novos formulários de solicitação de visto listam uma série de redes sociais e exigem que o solicitante informe os nomes das contas que têm ativas ou as que utilizou nos últimos cinco anos.

A solicitação também inclui a opção de oferecer informações voluntariamente sobre perfis que possuam ou possuíram em outras redes, mas que não constam na relação disponível na ficha.

Desde sexta-feira, internautas relatam que o novo formulário já está valendo.

New question on online US visa application added yesterday. pic.twitter.com/NylFjGE9Jq

May 31, 2019

Segundo fontes de imigração consultadas pelo jornal americano The Hill, quem mentir sobre o uso das redes sociais poderá enfrentar “sérias conseqüências na imigração”.

Qual foi a reação às novas medidas?

Quando a proposta de pedir informações sobre as redes sociais dos solicitantes de visto foi apresentada em 2018, as autoridades estimaram que ela afetaria 14,7 milhões de pessoas por ano.

A União Americana pelas Liberdades Civis fez críticas na época, afirmando que “não há evidências de que tal monitoramento das redes seja efetivo ou justo” e considerando que ele levaria as pessoas a se autocensurarem na internet, já que qualquer brincadeira feita nessas plataformas poderia ser levada a sério.

Usuários das redes sociais também não se mostraram satisfeitos com a medida, chamada, por alguns, de “Big Brother nos Estados Unidos”.

O jornalista Peter Clarke, ex-funcionário da rede ABC na Austrália, disse no Twitter que as regras são “ainda mais invasivas” e que outros destinos, com isso, “acenam” para os viajantes.

O também jornalista Kumar Manish, da Índia, também via Twitter, recomendou que os internautas “pensem duas vezes, três vezes antes de postarem qualquer coisa”. “Seu sonho americano pode ir por água abaixo com base nisso”, acrescentou.

    Seja o primeiro a comentar

    Faça um comentário

    Seu e-mail não será publicado.


    *