Em Recife, o ferreiro diz que não quer “vingar” | exame

Em Recife, Haddad diz que não quer “revanchismo”
Em Recife, Haddad diz que não quer “revanchismo”

Fernando Haddad, candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT)

Fernando Haddad: o candidato prometeu concluir a conversão do Rio São Francisco e iniciar a construção da ferrovia Transnordestina (Rodolfo Buhrer/Reuters)

Recife – o candidato do Partido dos Trabalhadores à presidência da República, Fernando Haddadsábado, 22, durante um comício na cidade de Recife, que eu não quero ganhar a eleição em 2018 por “revanchismo”. “Vamos fornecer o Brasil. Não queremos vingança, queremos dar a mensagem de que o Negro, de Mulheres, o Norte-Leste, que vai ser respeitados. Nós não acreditamos na violência e intolerância”, disse o petista.

A letra revelado na quinta-feira por Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que o ex-presidente afirmou que foi necessário parar aqueles que podem ser classificados como “Cristã” proteção de luto disse que você ainda não leu, mas a interpretação do texto como um “gesto de apoio a um candidato, Geraldo Alckmin (PSDB)”.

Até a data especificada na capital do estado de Pernambuco, o candidato prometeu concluir a conversão do Rio São Francisco, para retomar a obra da ferrovia Transnordestina retomada de investimentos na indústria marítima.

Vaias

Antes do rali, o ferreiro andou pelo Centro de Comércio popular do Recife, acompanhado pelo candidato a vice-presidente na chapa, Manuela D (PC do B), e o governador e candidato à reeleição, Paulo câmara (PSB). O senador Humberto Costa (PT), que está lutando para re-eleição do presidente nacional do PCdoB e o candidato a vice-governador, Luciana Santos, em uma nota de rodapé.

Costa e Luciana foram vaiado quando eles lhe pediram que os sons do círculo. Durante seu discurso, a situação de sua voz foi abafada por mais vaias e gritos de “golpista”.

Ferreiro também vaiado na largura da sala e aproximou-se Renata Campos, João Campos, esposa, filho mais velho do ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014. João Campos é candidato a deputado federal.

No estado de Pernambuco uma aliança entre PSB PT alegado demanda para o governo do estado petista Marilia Arraes. O acordo não foi um partido de luta.

Na parte da tarde, o ferreiro encontra a agenda de Caruaru (PE). No domingo petista de proteção na cidade de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) com o governador do estado da Bahia, candidato à reeleição, Rui Costa (PT).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*